/blog

Boas festas, novidades, tags/untagged, top 10 custos, manutenções AWS

Boas festas e expectativas para 2018

O Cloud8 (https://www.cloud8.com.br) faz 5 anos. Agradeço a todos os clientes pela confiança em nossos serviços ao longo desta jornada. A empresa que começou com o intuito de ajudar na gestão de Cloud, hoje é missão crítica para centenas de empresas de todos os portes. Sentimos muito orgulho de ajudar na economia de custos em um país com tantos desafios, melhorar a gestão de segurança e a continuidade de negócios.

Em 2018, esperamos fazer muito mais. Temos diversas novidades a serem lançadas no 1 trimestre que vão expandir escopo e beneficiar ainda mais os parceiros. Convido a todos a enviarem sugestões para nosso roadmap!

Boas festas e uma ótima passagem de ano!
Renato Weiner
CIO/Founder


Custos – componentes sem tags (Untagged)

As tags dos componentes tem sido cada vez mais usadas para controlar a alocação de custos. Se ainda não está utilizando ou quer melhorar o controle, seguem algumas dicas antes de falarmos de Untagged.

Dicas de uso de Tags

  • uma tag é definida por um par “Nome” e “Valor”. Ex: Nome -> Departamento. Possíveis valores: “Marketing”, “Financeiro”, “TI”, etc;
  • tenha uma política/processo de taggear tudo: servidores, RDS, discos e load balancers, etc -> tudo mesmo 🙂
  • defina como taggear sempre que um recurso novo é criado: Servidor, Disco, RDS, LB, etc
  • escolha as tags de acordo com o seu negócio: se trabalham por projeto, por cliente, por departamento, por centro de custos, por ambiente (producao/desenvolvimento), por equipe de devops, etc.
  • sugestões de “Nomes” de tags: ‘Ambiente’, ‘Aplicacao’, ‘Cliente’, ‘Custo’, ‘Empresa’, ‘Produto’, ‘Responsavel’, ‘Servico’, ‘CentroDeCusto’, ‘Stack’, ‘Tecnologia’, ‘Departamento’, etc
  • dá para usar múltiplas tags (não economizem 🙂 )
  • pode usar tags técnicas tb: Sistema Operacional, Banco de dados, NoSQL, WebFront, Cache, Tier, etc…

Limitações de uso:

  • o AWS não consegue pegar as tags de forma retroativa, então se mudar no meio do mês, ela começa zerada e no fim do mês vai ter uma parcial. Por isto é bom fechar de vez o conjunto de nomes e tentar mudar pouco;
  • não são todos os produtos que suportam tags. Ex: instâncias reservadas. Mas está melhorando a cada mês – o Cloud8 vai mostrar o que é taggeável e o que não é (ver Untagged abaixo)
  • maiúsculo, minúsculo: não misture maiúsculo e minúsculo, espaços em branco, acentos. Os nomes das tags são sensíveis aos caracteres e são tratadas de forma independente. Ex: “Cliente” e “cliente” são considerados tags diferentes.

Untagged – acompanhar o que não está taggeado

Criamos uma aplicação nova em “Análise de Custos”, aba “All – Untagged”. A idéia é mostrar todos os componentes que não possuem tags e que aparecem nos custos.

Veja algumas características da aplicação:

  • Pesquisar por tags – selecione uma ou mais tags e o relatório trará os componentes que não a possuem;
  • Dividimos em 2 partes: os serviços que o AWS não suporta cost allocation (ou seja, nem adianta perder muito tempo além de saber quais são) e os produtos em que há componentes sem tags – listamos os IDs;
  • à medida que vão arrumando as tags, o relatório de “IDs” deve diminuir. A edição de novas tags pode ser feita pelo console ou pelo próprio Cloud8 (nos componentes suportados por enquanto);
  • exportar os componentes que não possuem tags no formato CSV;
  • por default o Cloud8 vai trazer todos os componentes que não tiverem sido taggeados por vocês (isto é, ignoramos tags que começam com “aws:” e “rds:” que são tags que o AWS inclui automaticamente);
  • agendar o recebimento de um relatório diário (ou com a frequência que quiser) dos componentes que não possuem tags. Basta ir no agendador, e no combo “Componentes”, escolher “Relatórios”. Lá encontrarão o “Relatório: Recursos com ID não taggeados”.


Idéia de processo simples:

  • configurar o relatório com frequencia de 2 em 2 dias;
  • à medida que receber o email, taggear os componentes;
  • identificar algum cenário de provisionamento, auto-scaling que cria componentes sem tags e arrumar;
  • usar o relatório completo de tags (Dashboard -> Ícone relatórios -> Tags) para extrair o rateio de custos;

Tags + Perfis de acesso

É possível delegar a gestão das tags para outro time, como o financeiro, sem que eles tenham permissão para alterar a infraestrutura.

Dentro dos perfis de usuários, há ações que permitem a edição de tags.

Para criar um perfil financeiro + edição de tags, façam o seguinte para deixar mais organizado e flexível para o futuro:

  • no menu “Perfil de acesso”, crie um perfil “Finance” – com acesso a tudo ou somente um ou mais “Provedores” à escolha;
  • perfil “Servidores (Ações e Workflow)” conforme imagem acima;
  • perfil “DNS (Custom)” com as ações:”Editar Tags”, “Visualizar custos detalhados”;
  • perfil “Banco de dados (Ações)” com as ações: “Editar Tags”, “Visualizar custos detalhados”;
  • criar um usuário novo, associem os 4 perfis: Finance + Servidores + DNS + Banco de dados.

Análise top 10

Outra aplicação que criamos dentro de “Custos – Analytics”, chamamos de “top 10”. Inclui:

  • top 10 mais caros;
  • top 10 variações dos períodos selecionados (por default mês atual e mês anterior)

O objetivo é saber quais custos/uso que mais variam entre períodos. Há casos em que o aumento de um serviço é compensado pela diminuição em outro. Isto pode mascarar tendências e o entendimento dos custos que mais sofreram variações ajuda a um melhor controle.

A dinâmica funciona assim:

  • selecione a aba Top 10;
  • o top 10 variações mostra as variações do primeiro nível: produtos AWS ou tags nome/valor, etc;
  • baseado no que variou mais, pode expandir o nó da direita e reselecioná-lo em seguida – o top 10 é atualizado automaticamente;
  • avalie o top 10 mais caro, as variações e repitam a operação para detalhar a análise

Há opções de mudar entre “Custo” e “Uso” e o valor – por default colocamos 0.5 para tirar as variações enormes que podem ocorrer com serviços que estão próximos de zero. Mas nada impede de setarem o valor em 100 por exemplo, para pegar os maiores valores e assim por diante.

Filtro de manutenções AWS

O AWS enviou literalmente uma enxurrada de manutenções de servidores para as próximas semanas.

Para identificar se possui algum servidor nesta condição, pode usar um novo filtro da coluna “Info” da lista de servidores -> “Manutenção agendada”. Os servidores que tiverem manutenção aparecem com ícone de relógio . Ao passar o mouse, verá os detalhes de quando ela será realizada pelo AWS.

Caso queira antecipar esta manutenção – recomendado – basta realizar um stop/start da instância (ou mesmo reboot em alguns casos) que ela deve sumir. Pode ser feito manualmente (console ou Cloud8) ou usando as tarefas do agendador. Não esqueça de fazer backup antes!

Mais novidades

Continuamos a implementar novas melhorias em todas as funcionalidades do Cloud8.

  • Billing: suporte a Pinpoint, Cloud Directory, AWS Glue, Macie, Guard Duty, Comprehend, SageMaker, MQ, Alexa for Business e ECS;
  • Novos tipos EC2: g3, f1, x1e, x1, m5, c5 e h1;
  • Suporte a Aurora PostgreSQL;
  • Suporte a nova região de Paris (eu-west-3);
  • Billing: análise mostra SQS com IDs e tags, já que AWS agora suporta;
  • Métricas: suporte as dimensões CPUCreditUsage e CPUCreditBalance para tipos t2;
  • RIs: alerta de expiração de RI de Redshift;
  • IAMs: melhoria no relatório de IAMs com exportação melhor organizada e diagramada;
  • IAMs: inclusão de campo de MFA e busca por usuários que não usam;
  • Agendador mostra fim de semana com outra cor;
  • Cópia cofre: retenção com uso de GFS e opção de ‘não apagar’.

Obrigado!
Equipe Cloud8

Comentários